Subscribe Now

Trending News

Pós-graduação lato sensu: o que é e a diferença para stricto sensu
Graduação

Pós-graduação lato sensu: o que é e a diferença para stricto sensu

Para conseguir uma boa colocação no mercado, não é segredo algum que um dos caminhos mais indicados a ser tomado é investir em qualificação. Em meio a um cenário marcado pela alta competitividade, parar na graduação significa estar sempre um passo atrás da concorrência — por isso a importância de cursar uma pós-graduação lato sensu ou stricto sensu.

E você, já sabe qual é a diferença entre esses dois tipos de formação? Caso ainda tenha dúvidas sobre o tema, não se preocupe: é justamente sobre isso que falaremos neste artigo.

A seguir, veja como funcionam as pós-graduações lato e stricto sensu e entenda em quais situações elas são mais indicadas, entre outras características importantes! Acompanhe!

Pós-graduação lato sensu

Com duração média de 18 meses, a pós-graduação lato sensu é mais indicada para os profissionais que querem aperfeiçoar os seus conhecimentos em uma determinada área. Dessa forma, é possível, além de aprender, desenvolver habilidades específicas que podem ser utilizadas no dia a dia de trabalho.

É interessante destacar que a expressão “lato sensu” vem do latim e, em português, pode ser traduzida como “em sentido amplo”. Ela é usada para classificar os cursos de pós-graduações como especializações e MBAs (Master in Business Administration).

Abaixo, explicamos de forma detalhada como funcionam esses cursos.

Especialização

A especialização é uma das pós-graduações mais buscadas pelos profissionais. Ela é indicada para aqueles que têm como objetivo evoluir na área de atuação, com foco no mercado de trabalho. Dessa forma, o aluno recebe a qualificação necessária para suprir as principais demandas das empresas com eficiência.

Para cursar uma especialização, é necessário contar com um diploma de curso superior. No entanto, é comum que cada instituição de ensino apresente seus próprios critérios para o ingresso do aluno — como avaliações, análise de currículo ou até mesmo entrevistas, em alguns casos.

Quanto ao formato das aulas, os cursos seguem o mesmo padrão de uma graduação, ou seja, com aulas (presenciais ou a distância) e seminários. A única exigência é que, de acordo com o Ministério da Educação (MEC), a especialização tenha no mínimo 360 horas. Concluída a formação, o aluno recebe um certificado amplamente valorizado pelo mercado.

MBA

Já o MBA – Master in Business Administration (Mestrado em Administração de Negócios, em português) é uma pós-graduação lato sensu mais voltada para as áreas de negócios e gestão empresarial. Por isso, o principal público-alvo dessa formação costuma ser composto por gerentes, diretores, gestores, empreendedores e pessoas que desejam atingir cargos de liderança nas empresas em que atuam.

Dessa forma, eles conseguem aprofundar os conhecimentos sobre o universo corporativo e fazer networking — prática, inclusive, importante para qualquer profissional. Para ingressar em um MBA, é comum que as instituições de ensino promovam processos que envolvam análise de currículo, avaliação e teste de proficiência na língua inglesa.

Por esse motivo, é interessante que os candidatos a esse tipo de pós-graduação já contem com um tempo maior de experiência no mercado. Por fim, vale lembrar que, apesar do nome, o MBA não confere título de mestrado no Brasil. Além disso, sua duração mínima também deve ser de 360 horas, seguindo as exigências do MEC.

CTA-UNINTERPowered by Rock Convert

Pós-graduação stricto sensu

As pós-graduações do tipo stricto sensu (do latim, “em sentido estrito”), por sua vez, correspondem aos cursos de mestrado e doutorado. É possível afirmar que o público-alvo dessa modalidade corresponde aos profissionais que desejam seguir uma carreira acadêmica: seja dando aulas em faculdades e universidades, seja atuando em pesquisas ou demais projetos de extensão.

No entanto, assim como falaremos adiante, existe também o mestrado profissional, que nada mais é que uma pós-graduação stricto sensu voltada exclusivamente para a atuação no mercado de trabalho. Independentemente da modalidade escolhida, os alunos que se formam mestres ou doutores recebem um diploma e não um certificado, como nos cursos lato sensu.

Abaixo, entenda um pouco melhor sobre as pós-graduações stricto sensu.

Mestrado

Com a duração de aproximadamente 2 anos, o mestrado forma o aluno como pesquisador ou professor do Ensino Superior. O ingresso nessa formação envolve a elaboração de um pré-projeto de pesquisa, bem como etapas de seleção que podem variar de acordo com a instituição — no geral, estamos falando de análise de currículo, entrevista, avaliações, testes de proficiência e afins.

Concluída a formação, o aluno deverá apresentar uma dissertação (ou tese) para obter o diploma de mestre.

Mestrado profissional

Assim como já mencionamos, existe uma opção de mestrado voltada para aqueles que desejam obter o título, mas não necessariamente almejam uma carreira no campo acadêmico — embora estejam aptos para tal com a conclusão do curso. O foco do mestrado profissional, então, é auxiliar o profissional com conhecimentos que agregarão em seu dia a dia de trabalho.

As exigências para o ingresso nessa modalidade são as mesmas que já citamos anteriormente, assim como a duração, que também é de aproximadamente 2 anos. No final, o aluno recebe o diploma de mestre e tem mais chances de conquistar boas colocações.

Doutorado

Já aqueles que buscam se aprofundar ainda mais no campo desejado podem apostar na educação continuada e investir em um curso de doutorado. Trata-se do próximo passo para quem concluiu o mestrado, embora não seja obrigatório ser mestre para ingressar nessa formação: basta que a instituição de ensino superior considere relevante a proposta de pesquisa apresentada pelo aluno.

Isso porque o doutorado forma o indivíduo como pesquisador ou professor do Ensino Superior. Essas pesquisas, no entanto, têm mais profundidade do que as feitas em um mestrado. Além disso, vale a pena destacar que a duração média para esse tipo de curso é de 4 a 5 anos, exigindo, muitas vezes, dedicação total por parte dos alunos. Justamente por esse motivo, é comum que algumas instituições ofereçam bolsas de incentivo e suporte.

Com o final do doutorado, o aluno recebe o diploma e o título de doutor, se tornando ainda mais especializado em sua área de conhecimento e ampliando as chances de obter uma titulação máxima no universo acadêmico.

Esperamos que o post tenha ajudado você a entender as diferenças entre a pós-graduação lato sensu e a stricto sensu. Como foi possível perceber, a modalidade escolhida deve ser aquela que mais se alinha aos seus objetivos pessoais e profissionais. No entanto, independentemente do caminho a ser trilhado, lembre-se de que é fundamental optar por uma instituição de ensino superior de qualidade e boa penetração no mercado.

Gostou das informações que trouxemos no post? Então, aproveite para seguir agora mesmo as páginas da Uninter nas redes sociais e continuar sempre por dentro de mais conteúdos como este — estamos no Facebook, Twitter e LinkedIn!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *