Subscribe Now

Trending News

Mercado de trabalho em Curitiba: como está atualmente?
De olho no futuro

Mercado de trabalho em Curitiba: como está atualmente?

Quem está em busca de melhores chances no mercado de trabalho tem que ficar de olho em tudo relacionado ao assunto. São taxas de emprego, profissões mais promissoras e até oportunidades de especialização que ajudam a explorar as opções.

Sites como o do Ministério do Trabalho trazem esses dados que podem ajudar na escolha do melhor caminho a seguir. Você está buscando mais chances de emprego? Então veio ao texto certo. Neste post vamos mostrar como está o mercado de trabalho em Curitiba. Acompanhe!

Um panorama dos anos anteriores

A cidade é capital do Paraná, um dos três estados da Região Sul do nosso país. É considerada uma das áreas mais desenvolvidas do Brasil, e os números podem comprovar isso. De acordo com o censo realizado em 2010 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), a população do local estava estimada em cerca de 1,7 milhão de pessoas.

Em 2016, o pagamento médio mensal era de 3,9 salários mínimos e a proporção de pessoas empregadas ficava em torno de 53,1%. Em comparação com os outros municípios do mesmo estado, ela ocupava a primeira e a quarta posição respectivamente, em uma lista com 399 cidades.

Se olharmos os números em comparação a todo o país Curitiba ficava em 34° e 40° seguidamente, quando igualada a outros 5570 lugares. Em relação a empregos, em 2018 a cidade fechou o primeiro semestre com o saldo de 6.689 vagas geradas com carteira assinada. Entre as capitais do Sul, foi o melhor desempenho. Os grandes destaques ficaram por conta da construção civil, com 721 novas oportunidades, e da indústria, com 400 chances.

Mesmo com esses números animadores, em junho o mercado de trabalho em Curitiba acompanhou o resto do país e deu uma desacelerada. Teve a demissão de 2.225 pessoas. Tudo foi influenciado pela greve dos caminhoneiros que aconteceu na mesma época. Porém, no geral, o semestre ficou com um saldo positivo. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e foram divulgados pela Prefeitura de Curitiba.

Capital brasileira das fintechs

Outro ramo crescente no mercado de trabalho em Curitiba é o das startups de inovação tecnológica, e a ideia é tornar a cidade a capital brasileira das fintechs. A meta é aproveitar toda a tradição da área financeira do Vale do Pinhão e fazer com que ela se firme como celeiro de empresas do ramo.

De acordo com o site da Prefeitura do Município, esse mercado somou investimentos de R$ 515 milhões no Brasil em 2016 e, hoje, o setor movimenta R$ 10,8 bilhões por ano no país. Além disso, segundo a Federação das Indústrias do Paraná (Fiep/PR), essa é uma das mais importantes vocações da capital para os próximos anos. Curitiba tem cerca de 1.250 empresas no ramo, as quais empregam mais de 19 mil pessoas.

O mercado de trabalho em Curitiba atualmente

Mostramos números dos anos anteriores da cidade. Mas como está o ano de 2019? Os dados do Caged, divulgados pela Prefeitura de Curitiba, mostraram um primeiro trimestre positivo. Foram geradas 6.851 vagas com carteira assinada. Esse foi o melhor resultado em cinco anos e o maior saldo de todo o estado do Paraná.

A capital ficou à frente de cidades como Maringá (2.640), Cascavel (1.385), Londrina (1.156), Pato Branco (1.152) e Rio Negro (1.073). O saldo é resultado da diferença entre as pessoas admitidas (87.218) e as que foram demitidas (80.367) no período de janeiro a março de 2019. Além disso, foi medido o desempenho do mercado de trabalho formal em Curitiba. Na época os números foram puxados pelos setores de serviços que criaram cerca de 5.127 vagas.

Além disso, a indústria da transformação e da construção civil também tiveram bons resultados, com 649 e 669 novas oportunidades respectivamente. Já o setor do comércio abriu 165 empregos com carteira assinada. Os números foram surpreendentemente positivos, apesar do período de desaceleração que está acontecendo no mercado de trabalho em quase todo o país. Houve o fechamento de 43 mil oportunidades e, no mês passado, Curitiba encerrou 771 vagas, principalmente pelo baixo desempenho nos serviços (556).

As profissões mais promissoras

Mesmo com os resultados totalmente animadores dos últimos anos no mercado de trabalho em Curitiba, é importante estar atento e sempre se atualizando quando se trata de empregos. A busca por especializações é sempre necessária, mas saber também sobre as chamadas profissões do futuro é essencial.

Você já leu algo sobre o assunto? São aqueles empregos que serão mais requisitados em um futuro próximo. O site do G1 divulgou uma lista das que provavelmente terão uma grande demanda no mercado a partir deste ano. Os dados foram analisados por empresas como Catho e Michael Page. Saiba quais são elas a seguir.

Gerente de vendas

É responsável pela prospecção de novos clientes e parceiros. Além de ter que gerar demanda e ações promocionais, também tem que acompanhar a performance e desenvolver a força das vendas, estabelecendo planos de visitas e realizando análises dos concorrentes. Para a vaga é preciso ter uma formação em negócios, marketing ou comercial. Falar um segundo idioma é sempre um diferencial, porém, nesse caso, não é imprescindível. Os vencimentos do cargo variam entre R$ 5.000 e R$ 8.000.

Gerente de marketing de performance

Os salários desse cargo podem variar de R$ 10.000 a R$ 15.000, dependendo do tamanho da empresa. Eles ficam responsáveis pelo direcionamento do investimento para o melhor canal do cliente, baseando-se nos números do negócio e também nas ações de marketing de performance realizadas.

Para concorrer à vaga é necessário ter conhecimento sobre as estratégias de marketing e orçamento dos clientes para fazer a definição de onde investir e ter um bom retorno das mídias. Além disso, ele precisa ter requisitos obrigatórios como definição e fazer o acompanhamento dos indicadores de desempenho.

Engenheiro de dados

Para a vaga é preciso ter formação na área de exatas, como matemática, ciências da computação, análise de sistemas ou estatística. Porém, nada impede de ter talentos que venham de outros campos e saibam dominar as habilidades do setor, que são bem rígidas. A área, que está inclusa no setor de TI, tem vários cursos tecnológicos sobre o assunto. Os altos pagamentos compensam o grau de dificuldade: variam entre R$9.000 e R$18.000 reais.

profissional da área tem que criar soluções consideradas complexas e que sejam capazes de envolver, captar, analisar e enxergar as tendências em dados de informações. Eles serão usados para verificação de ações que impactem nos negócios, além de conseguir prever e fazer a geração de ondas de crescimento exponencial.

Especialista em remuneração

Já que ele é especialista no ramo, o salário não poderia ser diferente. Os números ficam entre R$9.000 e R$12.000 reais por mês. O cargo é responsável por fazer a análise ou atualização das faixas salariais dos diferentes níveis hierárquicos das companhias.

Além disso, ele tem que validar a prática de concorrentes e de outros mercados. Para isso, é necessário ter um perfil totalmente analítico para poder traçar cenários da empresa e confrontar com outros. É importante também ter um conhecimento avançado em Excel, pois usa bastante as planilhas.

Analista de produtos

Calma, não é que você vai sair experimentando tudo que existe. Fica a cargo do profissional responsável desenvolver ou melhorar os produtos que são oferecidos pela empresa para o público-alvo. Para isso, é necessário ter bastante capacidade analítica e crítica sobre os funcionamentos e desenvolvimentos dos novos negócios.

Também é indispensável ter criatividade para propor novas formas de tornar a experiência dos clientes mais prazerosas. E quanto se recebe por isso? Um salário de R$ 8.000 a R$ 12.000.

Bioinformacionista

O nome é diferente, não é mesmo? Mas não se assuste! O profissional atua na prevenção de doenças genéticas e faz estudos que estão relacionados à reprodução humana. Para trilhar essa carreira é necessário ter uma formação na área de exatas ou biologia, como física, química, matemática ou ciências biomédicas.

Nesse caso, é imprescindível que posteriormente o candidato faça mestrado e doutorado em bioinformática. O seu campo de atuação pode ser em hospitais, laboratórios de análises ou centros de pesquisa. Com tanto estudo, o salário não poderia ficar menor que algo entre R$ 4.000 a R$ 7.000.

Com esse texto, podemos ver que mesmo com as últimas crises o mercado de trabalho em Curitiba se mantém muito aquecido. A geração de empregos está positiva e não faltam vagas de carteira assinada. Mas engana-se quem pensa que é só se candidatar. Os estudos são sempre necessários para buscar melhorias na vida profissional. Por isso, procure um bom curso ou faculdade e aprimore-se!

Gostou deste conteúdo? Então assine a nossa newsletter e receba materiais como este diretamente no seu e-mail!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *