Subscribe Now

Trending News

Como produzir uma boa redação? Não cometa esses 7 erros
Graduação

Como produzir uma boa redação? Não cometa esses 7 erros

A redação é uma das etapas mais importantes e desafiadoras em qualquer prova de vestibular. Além de ter um peso importante na somatória das notas do exame, pode até mesmo levar o candidato à desclassificação, conforme as regras da faculdade.

Além disso, faculdades que adotam uma fase dissertativa em seus processos seletivos também têm a liberdade de descontar pontos dos alunos que escreverem as respostas com erros de português.

Por isso, a escrita exige técnica e deve fazer parte de seu cronograma de estudos. Afinal de contas, mesmo que você não tenha as habilidades de um escritor, escrever corretamente é essencial profissionalmente, certo? Mas o que é preciso para saber como produzir uma boa redação e tirar de letra essa etapa do vestibular?

Bem, o primeiro passo é evitar os chamados erros básicos. Separamos, neste post, 7 deles para você. Acompanhe as próximas linhas.

1. Cometer erros crassos de português

Crasso é um adjetivo que significa “grosseiro, tosco ou rudimentar”. Em outras palavras, a banca examinadora não espera corrigir textos com erros de português desesperadores, especialmente porque os alunos estão sendo avaliados para entrar na faculdade.

Então, são inadmissíveis erros de ortografia, pontuação, coesão, concordância, colocação pronominal etc. Esses erros comprometem e muito a pontuação dos candidatos, especialmente porque muitos estudantes não conseguem dissociar o português escrito do falado ― que são coisas completamente diferentes.

Se você ainda tem algum tipo de dificuldade nesses itens, considerados básicos, invista tempo em resolver suas dúvidas o quanto antes.

2. Escrever frases muito longas

Outro problema é a dificuldade de escrever frases e parágrafos curtos. Não caia na tentação de querer dizer tudo em um lugar só. Em primeiro lugar, pensando na banca examinadora, quando os períodos ficam muito longos, o leitor se perde facilmente e não consegue conectar as ideias ― ainda que seu texto esteja gramaticalmente correto.

Depois, ao escrever trechos e mais trechos separados por vírgulas, aumentam bastante as chances de você errar na concordância ou se perder no que está dizendo. Então, não tenha medo de escrever frases curtas. Acredite, é seguro. Mas, claro, jamais perca a conexão entre os trechos, pois seu texto não pode ficar fragmentado.

3. Cair no senso comum

Sabe o bom e velho achismo? Esse é outro perigo ao fazer uma redação. Todo e qualquer argumento que você utilizar em seu texto deve ser baseado em dados ou fatos reais. Você até pode criar hipóteses sobre alguma ideia, mas nunca deve dar ênfase a uma interpretação pessoal de algo que você não tem certeza.

A isso se soma dar uma interpretação superficial sobre o que está sendo proposto. Seus argumentos, pelo contrário, devem ser consistentes. Ainda que você não seja uma biblioteca ambulante, utilize dados de que se lembre e não hesite em explorar os textos motivadores (aqueles trechos que vêm destacados na folha da proposta de redação).

Ao fazer isso, você enriquece a sua produção e impõe valor ao que está dizendo, sem correr o risco de fornecer dados incorretos.

4. Utilizar a linguagem e a estrutura incorretas

A redação do vestibular normalmente segue o gênero dissertativo-argumentativo. Em resumo, trata-se de uma forma de escrita que busca a linguagem formal, de acordo com as normas cultas da língua portuguesa, preferencialmente sem gírias ou jargões e com vocabulário amplo.

CTA-UNINTERPowered by Rock Convert

Nesse gênero textual, a ideia é avaliar a sua capacidade de apresentar um raciocínio, defender um ponto de vista ou questionamento a respeito de um tema proposto. Então, você precisa se valer de argumentos, dados e fatos que ajudarão na justificativa de suas ideias.

O texto dissertativo-argumentativo se baseia em 3 pilares básicos:

  • apresentação de um ponto de vista;
  • exposição dos argumentos;
  • análise crítica.

Portanto, deve ter introdução, desenvolvimento e conclusão bem claros.

5. Não compreender a proposta

Fugir do tema é uma derrapada sem volta. Escrever algo que não tenha nada a ver com o que está sendo pedido na proposta de redação demonstra total incapacidade de interpretação textual.

Certamente, esse não é o seu caso. Mas, às vezes, a proposta de redação foi redigida justamente de maneira a criar uma “pegadinha” que exige maior atenção do estudante. Para evitar isso, não tenha pressa de começar a escrever.

Como os temas abordados normalmente têm a ver com os últimos acontecimentos no mundo, também é importante acompanhar o noticiário para estar a par das novidades. Desse modo, quando chegar a hora da prova, você dificilmente receberá uma surpresa.

Assim, leia atentamente a proposta de redação e grife os pontos mais importantes. Além disso, observe os textos motivadores e veja quem são os seus autores ― eles podem ser, inclusive, uma dica da linha de pensamento esperada pela faculdade.

Depois disso, comece a estruturar as suas ideias. Monte um esquema (você pode até desenhar o seu texto!) para definir o que vai dizer e em qual parte. Por fim, faça o rascunho.

6. Exceder o tempo da prova

Nem pense em escrever uma obra de Shakespeare ou um capítulo da Bíblia Sagrada. A redação, no vestibular, é composta de textos curtos, de no máximo 30 ou 40 linhas. São feitos assim justamente para ninguém se perder no tempo da prova.

Aliás, o fator tempo é muito importante em uma prova de vestibular. Então, divida o período total do exame em frações iguais e destine uma porção para fazer a redação. Muitos alunos preferem começar pela redação, por estarem mais descansados. Outros querem resolver o restante do exame e se dedicar à produção textual no fim. Aqui, não tem dica — vai depender de como você se sente nessas ocasiões. Não importa a sua escolha, desde que você saiba gerir o seu tempo.

7. Não revisar o texto

Por fim, revise o seu texto. Preferencialmente, leia o rascunho e ajuste-o como se fosse a versão final, para depois começar a passá-lo a limpo. Uma vez terminado o seu texto, revise-o novamente. Embora não sejam permitidas rasuras, pequenas correções podem ser realizadas e não prejudicarão a sua nota.

Voltando ao questionamento do início deste post, “como produzir uma boa redação?”, a resposta é simples, porém não significa ser fácil: treino e mais treino. A fluência na escrita depende de que você tenha produtividade nos estudos e foco nas dificuldades. O raciocínio é básico: quanto mais você escreve, mais ricos se tornam os seus textos.

Além disso, lembre-se de que um texto de qualidade é acompanhado de muita leitura. Isso porque, ao ler, você amplia o seu vocabulário, reconhece as possibilidades de construir um texto e desvenda as minúcias da língua portuguesa, por exemplo, nas questões de ortografia e gramática.

Então, mãos à obra e bons estudos. Mas não vá embora sem antes compartilhar este post em suas redes sociais e ajudar os seus amigos que também estejam se preparando para o vestibular!

Powered by Rock Convert

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *