Subscribe Now

Trending News

5 cuidados ao tomar para mudança de emprego
Construindo o amanhã

5 cuidados ao tomar para mudança de emprego

Uma mudança de emprego, independentemente do motivo, é um processo que deve ser feito com bastante cuidado e planejamento. Considerando os desafios que podem surgir no caminho, como a situação econômica do país e os altos níveis de concorrência do mercado, é preciso estar preparado para deixar o trabalho atual e ir em busca de um novo. Agora, você provavelmente deve estar se perguntando sobre como isso pode ser feito, não é mesmo? É sobre isso que falaremos neste post!

Se você quer mudar de emprego, mas ainda não conhece os cuidados necessários para seguir em frente rumo a uma carreira de sucesso e realizações, não se preocupe. Continue a leitura do post e confira as dicas que reunimos a seguir!

Por que mudar de emprego?

Insatisfação

Mudar de emprego é uma decisão que envolve motivos diferentes. Entre os principais, temos a insatisfação. Não sentir vontade de ir trabalhar um dia ou outro pode ser algo comum, mas, quando isso acontece com frequência (ou até mesmo todos os dias), trata-se de um sinal de que algo não está indo bem. A ausência de metas e objetivos é outra causa comum para a mudança, já que precisamos desses dois fatores para nos mantermos incentivados e focados na busca por nossos objetivos pessoais e profissionais.

Falta de integração à cultura organizacional

Muitas pessoas também querer mudar de emprego por não se sentirem integradas à cultura organizacional. A satisfação profissional nem sempre está atrelada a um bom salário. Quando não há identificação com os valores, visões e missões da empresa, executar as suas funções com motivação parece se tornar uma tarefa difícil.

Desvalorização

A ausência de valorização também leva à decisão de mudar de emprego. Imagine: o profissional entrega sempre resultados excelentes e faz o seu trabalho com a máxima qualidade, mas não obtém nenhum reconhecimento por isso, nem ao menos um feedback positivo? Com o passar do tempo, continuar nessa situação se torna algo desgastante e frustrante.

Desatualização

Por fim, há também um fator que não poderia ficar de fora: a desatualização. Com os avanços proporcionados pela tecnologia, cada vez mais presente dentro das empresas, é natural que os seus processos sofram mudanças. Estar a par delas, bem como das principais tendências da área, é fundamental para não se tornar obsoleto em sua função.

Quais são os principais cuidados para uma mudança de emprego?

Em casos de mudança de emprego, a recolocação no mercado certamente se tornará necessária em algum ponto, certo? Para que isso aconteça, é necessário contar com um bom planejamento, superar os desafios que podem vir pela frente — como a desmotivação, a desatualização, o medo de inovar etc — e tomar uma série de cuidados que vão guiá-lo na busca por seus objetivos. Conheça- os a seguir!

1. Pesquisar sobre o mercado

Antes de concretizar a mudança de emprego, saber como está a situação econômica do país e pesquisar sobre o mercado são passos fundamentais. Aqui, procure saber como estão as perspectivas de crescimento para sua área de atuação nos próximos anos, o que é preciso fazer para se destacar entre os demais profissionais do ramo e se o momento econômico favorece a migração, por exemplo. A depender da situação, pode ser interessante ter um pouco mais de paciência.

2. Investir em conhecimento

Não é segredo algum que as organizações andam mais exigentes com relação aos colaboradores que contratam. Elas querem trazer para seus times aqueles profissionais que estão sempre em busca de aprendizado e atualização. Nesse sentido, antes de mudar de emprego, considere aperfeiçoar seus conhecimentos e desenvolver habilidades em um curso de especialização.

Lembre-se de que a concorrência está cada vez mais qualificada, mantendo alto o nível de competitividade no mercado de trabalho. A especialização surge, então, como uma forma de se preparar para atender às demandas das empresas com eficiência. Em alguns casos, ela torna-se até mesmo indispensável, sobretudo quando a mudança de emprego implica o desejo de ingressar em uma área diferente.

3. Ampliar contatos

Mudar de emprego é um processo menos complicado quando se pratica o networking. Contando com uma rede sólida de contatos profissionais (ou network), que estarão a par de suas experiências e habilidades, você tem mais chances de ser lembrado por essas conexões sempre que surgirem oportunidades alinhadas ao seu perfil. Isso não só facilita o seu contato com as organizações, como permite que a recolocação no mercado seja mais rápida.

Mas, como é possível montar uma agenda de contatos quando a rotina parece não permitir? Saiba que, mais uma vez, ingressar em um curso de especialização é uma ótima alternativa. Ao cursar uma pós-graduação, por exemplo, tanto na modalidade presencial quanto a distância, você estará em contato direto com profissionais de áreas semelhantes e afins, além de professores e outros acadêmicos.

4. Ter um planejamento financeiro

Se planejar financeiramente é um dos passos mais importantes para a mudança de emprego — especialmente ao considerar que a recolocação do mercado pode tanto acontecer de forma rápida, quanto demorar mais que o esperado. Tendo uma boa quantia guardada para arcar com as despesas fixas e possíveis imprevistos nessa fase de transição, você evita passar por apertos e até mesmo ter que fazer dívidas.

5. Driblar o medo de mudanças

Muitas pessoas até querem mudar de emprego, mas se forçam a permanecer no mesmo trabalho até o momento de aposentar porque têm medo de falhar. Por isso, preferem não se arriscar ou perder alguns fatores de segurança, como um salário alto. É preciso ter em mente, no entanto, que embora o medo de mudanças seja algo comum, ele não pode impedi-lo de seguir com os seus objetivos.

Nunca é tarde para mudar de emprego, assim como ninguém é muito velho ou muito novo para tal. Quebrar o medo, bem como as crenças limitantes, fará com que você siga mais confiante na busca pela realização profissional e pessoal.

6. Se preparar para as futuras entrevistas

Caso a sua última entrevista de emprego tenha sido há algum tempo, é importante mais uma vez saber como se preparar para esse momento. Um passo fundamental é pesquisar bastante sobre a empresa. Dessa forma, você saberá responder com mais clareza caso o recrutador pergunte por quais motivos você deseja trabalhar naquela organização. Além disso, seja pontual, verdadeiro naquilo que fala e finalize o encontro agradecendo pela oportunidade.

Tome também cuidado com as propostas que você aceita. Tenha em mente que sua entrevista, apesar de bem-sucedida em um primeiro momento, acaba não na hora em que você foi aceito para a vaga, mas, sim, depois dos três meses de experiência. Sendo assim, mesmo com as expectativas em alta, reflita se você está mesmo preparado para exercer as novas funções e de que está alinhado às visões e expectativas da empresa.

Como fica o trabalho atual?

Você entendeu que está na hora de mudar de emprego e já está se preparando para colocar objetivo em prática. Uma dúvida bastante comum que pode surgir nesse momento é: devo ou não abrir o jogo com a empresa atual? Essa é sempre uma questão delicada.

Para tomar a melhor decisão, é necessário considerar alguns fatores: como é o relacionamento com o seu gestor? Ele apoia os seus objetivos profissionais? Caso a resposta para essas duas perguntas seja “sim”, a sugestão é que você tente conversar com ele sobre os motivos que o levam a querer mudar de emprego.

Um líder experiente perceberá que a sua insatisfação poderá gerar a busca por outro emprego. Isso também é importante caso você seja aprovado em um processo seletivo, abra o jogo com a empresa atual e, depois, receba a notícia de que a outra organização retrocedeu na contratação. Dessa forma, o seu trabalho atual não será pego de surpresa.

É possível, também, que o gestor ofereça alternativas para convencê-lo a permanecer na empresa, como um remanejamento de funções, melhores condições de trabalho ou até mesmo uma nova remuneração. Se nada mudar depois de certo tempo, você poderá comunicá-lo formalmente de que está procurando outras oportunidades.

E quando não há um bom relacionamento com o chefe?

Na hipótese de que o seu chefe não seja propício ao diálogo ou até mesmo faça parte dos seus motivos para querer mudar de emprego, uma recomendação é dar a notícia somente quando tudo já estiver resolvido. Ponha na balança, no entanto, de que nesse caso pode não haver facilidades durante a rescisão.

Pronto! Agora você já tem em mãos os principais cuidados para uma mudança de emprego sem contratempos e que traga os resultados desejados. Embora esse seja um processo que exija bastante foco e preparação, lembre-se de que, com a devida preparação, é mais que possível driblar com sucesso os desafios de uma recolocação no mercado.

Gostou das dicas que trouxemos no post? Para receber mais conteúdos como este diretamente em sua caixa de entrada, não fique de fora: assine agora mesmo a nossa newsletter. 🙂

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *