Subscribe Now

Trending News

Você sabia que já temos regiões do mundo saindo da quarentena imposta pela pandemia?
Covid-19 | Pra Vida Não Parar

Você sabia que já temos regiões do mundo saindo da quarentena imposta pela pandemia?

A humanidade está vivendo uma situação única em sua história, com a pandemia de escala global provocada pelo novo coronavirus (COVID-19). A nova doença trouxe consigo incertezas, angústias, medos e nos lembrou o quão frágil e efêmera é a vida humana. No entanto, são em momentos de extrema dificuldade que aflora o que existe de mais bonito na raça humana.

Inúmeros relatos de jovens ajudando idosos em suas compras diárias, de famílias se reaproximando depois de anos e históricos rivais políticos deixando as diferenças de lado para combater a doença estão contaminando as redes e evidenciam o potencial ilimitado do ser humano de manifestar compaixão, empatia e solidariedade.

Demonstrar os desafios que nos aguardam, quais os perigos e tentar prever o futuro não é o objetivo deste post. Nessa leitura, queremos injetar uma boa dose de otimismo e compartilhar com vocês algumas das notícias mais legais que saíram sobre o combate à nova COVID-19.  Vamos nessa?

Onde tudo começou

Ao contrário de países vizinhos e de outros continentes, a China está experimentando uma redução drástica no número de novos casos da COVID-19. Para se ter ideia, a província chinesa Hubei (onde começou a doença) ficou na semana passada dois dias seguidos sem novos casos e, com isso, após dois meses, anunciou no dia 24/03, o encerramento gradual das restrições impostas pela quarentena local.

E a Alemanha?

Um fenômeno tem intrigado especialistas e pode ser um balizador para as ações no resto do mundo. Ao contrário de vizinhos europeus, a Alemanha vem apresentando uma baixa letalidade em se tratando da nova COVID-19.  Até o fim de março o país registrava aproximadamente 50.000 casos e somente 325 óbitos, uma taxa de letalidade menor que França, Espanha e Itália. Além da alta capacidade de diagnóstico alemã, as autoridades do país destacam a detecção precoce da doença e uma porcentagem menor de jovens e adultos morando com pais e avós. Sabe-se que jovens tendem a viajar mais e, por isso, são importantes transmissores da doença. Enquanto a Alemanha tem pouco mais de 10% de pessoas entre 30 e 49 anos morando com idosos, a Itália (país mais infectado) supera os 20%.

Uma jovem senhora

A COVID-19 é uma doença que acomete principalmente idosos com idade superior a 60 anos e pessoas com doenças que comprometam o sistema imunológico. Especialistas dizem que, acima de 70 anos, a doença pode matar até 20% dos pacientes. Contrariando todas as previsões, uma senhora de 103 anos na China ficou totalmente curada da doença após apenas seis dias de tratamento. A informação é do jornal britânico The Independent.

200826_Prêmio-Reclame-Aqui_banner-Blog_Votação-Aberta-01 (2)Powered by Rock Convert

Sucesso asiático

Apesar de a doença ter tido início em um país asiático, os ótimos resultados obtidos até aqui pelos vizinhos de continente têm chamado a atenção da comunidade internacional.  Especialistas apontam a velocidade na tomada de decisão, a alta capacidade de realização de exames, o distanciamento social e principalmente a cultura de higiene dessa população como diferenciais em relação ao resto do mundo. Vale lembrar que países como Taiwan e Singapura foram afetados pela epidemia de SARS no início do século, fazendo com que as pessoas tenham o hábito de lavar bem as mãos e utilizar máscaras mesmo em épocas de normalidade.

Corrida mundial pela cura

Com a pandemia de escala global, a humanidade experimenta agora um inimigo universal, capaz de unir até os mais ferrenhos adversários geopolíticos. Especialistas da área da saúde do mundo inteiro começaram a desenvolver os mais variados estudos e experimentos, para criar uma vacina e principalmente encontrar a cura da doença. Essa disputa do bem envolve China, Estados Unidos, Espanha, Brasil e muitos outros países que começaram nas últimas semanas, ensaios clínicos em pacientes com compostos contra a ebola e malária. É importante ressaltar que todo e qualquer estudo precisa ser validado pela Organização Mundial da Saúde, no entanto, em momentos críticos como esse, a união de esforços nos aproxima do objetivo que toda a humanidade aguarda ansiosamente.

 

Sabemos que as notícias que muitas vezes acompanhamos no noticiário podem ser preocupantes. Porém, se cada um de nós fizer a sua parte, conseguiremos retardar o avanço da doença e evitar o maior número possível de vítimas fatais. Por isso, o Centro Universitário Internacional Uninter pede para que você que nos lê fique em casa! Continue nos acompanhando e aproveite esse tempo para aprofundar o seu conhecimento — acesse uninter.com e confira nossos cursos gratuitos de extensão!

 

 

Fontes utilizadas:

Posts relacionados

2 Comentários

  1. vanuza costa queiroz

    Matérias mto oportunas.

    1. LUIZ GUSTAVO JANSSON VIEIRA

      Oi, Vanuza! Ficamos felizes em saber que você gostou. Fique ligada e acompanhe os próximos posts. 😃

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *