Subscribe Now

Trending News

Onde usar a nota do Enem para garantir uma vaga no ensino superior?
Graduação

Onde usar a nota do Enem para garantir uma vaga no ensino superior?

O Exame Nacional do Ensino Médio é a principal porta de entrada para as universidades no país. Todos os anos, milhares de alunos se inscrevem para fazer a prova, que atualmente é dividida em dois domingos, a fim de ingressar nas faculdades públicas ou privadas.

Por esse motivo, a avaliação passou a fazer parte do calendário das pessoas que desejam dar um passo a mais na qualificação profissional e conseguir um diploma do ensino superior. Mas você sabe onde usar a nota do Enem? Nós sabemos e vamos ajudar!

Neste texto, reunimos informações sobre os processos seletivos em que se pode utilizar o resultado para ingressar na graduação de sua escolha. O assunto interessa? Então, continue a leitura e aprenda mais sobre o tema!

SISU

O Sistema de Seleção Unificada é um programa do governo que tem como meta a democratização e o acesso dos estudantes às mais de 60 universidades públicas do Brasil. Todo o trâmite é feito pelo site, é de graça e pode se inscrever quem prestou a última edição da prova. É preciso escolher até duas opções de curso e instituição, seguindo uma ordem de preferência.

A seleção usa como base o número de vagas que estão disponíveis de acordo também com as inscrições para essas mesmas chances. Assim, é criada a nota de corte, que é o mínimo a ser pontuado para estar entre primeiros colocados e logo a classificação é feita por meio de pontos. Quem tiver a melhor pontuação vai ocupar o topo do ranking.

Existem duas chamadas e elas acontecem uma no começo de ano e a outra no meio, utilizando as vagas que não foram preenchidas. Ainda há a possibilidade de a pessoa ficar na lista de espera e ser convocada depois. Os interessados podem concorrer a três modalidades:

  • bacharelado: formação mais generalista com conhecimentos na área e duração média de três a seis anos, dando aos formados o título de bacharel;
  • licenciatura: tem quase a mesma base da modalidade acima, porém conta com mais matérias específicas e focadas nos aspectos pedagógicos. Habilita o profissional a trabalhar como professor na educação básica e os cursos duram até três anos;
  • tecnólogo: são mais curtos que os demais e levam até três anos para a formação. O conteúdo é mais focado na área e é indicado para quem quer entrar rapidamente no mercado de trabalho.

Prouni

O Programa Universidade para Todos também está ligado ao Ministério da Educação e as inscrições acontecem duas vezes ao ano, geralmente no começo de cada semestre letivo. A seleção leva em consideração a graduação mais desejada, a nota que o candidato teve no Enem e também a renda familiar dos concorrentes. Quem for selecionado vai conseguir bolsas de estudo de 50% ou 100% em universidades privadas durante todo o curso.

O processo segue os padrões parecidos com o do Sisu e, para participar, é necessário realizar a inscrição em uma etapa única, on-line e totalmente gratuita. É possível escolher duas opções na ordem de preferência e acompanhar o andamento e mudanças da chamada nota de corte.

O candidato consegue alterar os cursos escolhidos até o fim do prazo, buscando sempre aqueles em que o resultado o deixa em uma melhor colocação. Para participar, é preciso seguir alguns critérios, como:

  • cursar todo o ensino médio em escola pública;
  • ter bolsa de 100% em escolas particulares;
  • renda familiar inferior a 1,5 salários mínimo para bolsas de 100%;
  • ou superior a 1,5, mas inferior a três salários mínimos para bolsas de 50

tit-quero-estudar

Atenção! Você ainda pode conseguir bolsas de até 100% por meio das promoções Bolsa Mérito Enem- Direito e Enem – Sua Nota Vale Bolsa. Saiba como clicando aqui.

200826_Prêmio-Reclame-Aqui_banner-Blog_Votação-Aberta-01 (2)Powered by Rock Convert
CTA-UNINTERPowered by Rock Convert

Substituição do vestibular

Atualmente, quase todas as universidades públicas ou privadas do país aceitam o exame como forma de ingresso, ou seja, mais um local onde pode usar a nota do Enem. Com a avaliação, é possível dispensar a realização das provas oferecidas pelas instituições e entrar diretamente.

As regras mudam entre as instituições, mas geralmente existe a possibilidade de conseguir uma vaga mesmo tendo feito há mais tempo, normalmente sendo aceito a partir de 2010, ano em que o formato foi modificado. Algumas instituições pedem uma nota mínima nas partes objetivas e na redação, mas não é geral e, dependendo do curso, basta não ter zerado nenhuma parte.

Complemento da nota

Outro modo de usar a nota é como bônus para a pontuação das provas objetivas de outros vestibulares, como as aplicadas na primeira fase. O candidato pode optar no ato da inscrição para usar como um complemento a pontuação conseguida nos exames.

Quando o resultado do Enem é divulgado, as universidades recebem o resultado e, a partir daí, comparam com a nota obtida no vestibular. Se for melhor, o bônus vai ser calculado. Caso contrário, prevalece a do processo seletivo. Os benefícios podem variar de 10% a 30%, podendo mudar de acordo com cada instituição.

FIES

O Fundo de Financiamento Estudantil é outro programa oferecido pelo Ministério da Educação para ingresso no ensino superior. O projeto financia todo o curso nas universidades particulares do país. O objetivo é facilitar o acesso daqueles que não têm condições financeiras para investir em sua formação.

O MEC dividiu em três modalidades: na primeira, a ajuda de custos é ofertada pelo Governo Federal aos estudantes. Desse jeito, é possível ter custos mais baixos e juros zero para as pessoas com a renda familiar até três salários mínimos.

Existem outras formas, que são conhecidas como P-Fies. É o financiamento oferecido pelas instituições financeiras que usam os recursos públicos. Por isso, os valores são mais em conta, mas mesmo assim estão acima do que a primeira modalidade oferta.

As inscrições são abertas no início dos semestres e os estudantes passam por duas fases. A primeira é enquanto o curso ainda está acontecendo e deve ser pago um valor referente aos encargos operacionais, o que é previsto no contrato. Nesse período, também é necessário arcar com um custo mensal exigido também na documentação.

A segunda é o momento de carência, que desde 2018 foi abolido, ou seja, quem se formar tem que começar a pagar logo a dívida. Então, após a conclusão do curso já entra o período de amortização. Se tiver um emprego ou um for dono de empresa, as parcelas já são descontadas automaticamente do pagamento, segundo um somatório feito pelo Governo. Porém, se for comprovado que não tem renda, o financiamento pode ser pago em prestações mensais iguais ao valor mínimo e o prazo para pagar tudo é de até 14 anos.

Ingressar na faculdade é um grande passo para consolidar a carreira profissional, por isso é extremamente importante saber onde usar a nota do Enem. Neste texto, listamos uma a uma, explicando os processos seletivos, notas de corte e inscrições. Fique atento a qual delas se encaixa melhor em seu perfil e invista nessa chance de uma qualificação!

Curtiu o conteúdo? Então, compartilhe nas redes sociais para que outras pessoas tenham acesso também!

Powered by Rock Convert

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *