Subscribe Now

Trending News

O que é metaverso e quais são as oportunidades?
Geral

O que é metaverso e quais são as oportunidades?

Os recentes anúncios da Meta (Facebook) e de outras big techs têm engajado muitos setores e organizações: o metaverso promete movimentar trilhões de dólares.

Já que o tema traz consigo o dinamismo e a velocidade de transmissão da informação, vamos começar indo direto ao significado de metaverso: o termo é a junção do prefixo meta, que na língua grega significa “além”, com a palavra “universo”. Isso, por si só, já nos oferece uma pista de que a ideia é ambiciosa e, assim como o universo, esse conjunto de ambientes virtuais promete estar em constante expansão.

Para quem já teve a oportunidade de ver ou jogar os games (jogos eletrônicos) mais atuais, aqueles com uma qualidade gráfica impecável muito próxima da realidade, não deve ser difícil imaginar uma réplica do nosso mundo, virtualizada, sem limites físicos de tempo, espaço e com amplas possibilidades. Mas muita

calma, pois a questão visual, que naturalmente chama mais atenção, é só a ponta do iceberg.

Podemos dizer que enquanto a implementação das tecnologias que viabilizam o metaverso e a quebra de paradigmas vão ocorrendo no seu próprio tempo — e na velocidade esperada para um processo tão complexo —, empresas e marcas exploram o que já é tangível, se é que podemos definir assim algo que é basicamente perceptível em um universo não palpável. E o que dizem é que há possibilidade de que tudo isso, um dia, seja tátil.

Nesse contexto, o que importa mesmo é a amplitude da experiência do usuário e tudo o que vai torná-la cada vez mais real no sentido prático, de funcionalidade e aplicabilidade, ou seja, integrada ao máximo à realidade cotidiana que conhecemos e vivemos.

Essa concepção de metaverso tem sido algo tão importante que está movimentado a indústria (e o mercado financeiro) de um modo que há tempos não era visto. Aliás, dizem que, em média, a cada 10 anos as Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) nos apresentam algo altamente disruptivo, uma virada de chave. Assim foi com o advento da internet, dos provedores que democratizaram seu uso, da banda larga, da mobilidade, das redes sociais, da realidade aumentada, dos dispositivos vestíveis (wearable) e tantas outras tecnologias. E é isso que tem acontecido, mais uma vez, desde que a ideia do metaverso vem tomando forma.

Algumas das maiores marcas do mundo, inclusive, já lançaram suas roupas e acessórios virtuais, para serem usados no metaverso, mas com valores muito parecidos ou até maiores do que de produtos reais. Artistas estão comercializando obras originais, e muitos outros objetos já estão sendo vendidos em seu formato virtualizado — os chamados NFTs ou Tokens Não Fungíveis, em uma tradução livre, que são nada mais que um certificado, uma garantia eletrônica da posse de um objeto único e específico no ambiente digital.

Para quem quer se profissionalizar ou empreender na cadeia de valor do metaverso, esse é um novo mercado pronto para ser explorado.

Leia também:

Conheça as profissões que estarão em ascensão no futuro.

Soft skills e hard skills: o que são e como desenvolver?

Os profissionais que irão criar o metaverso, torná-lo possível e materializar tudo aquilo que existirá nesses ambientes, bem como aqueles que irão participar da sua manutenção nos mais diversos níveis, já estão se preparando para os próximos passos, adaptando-se e incorporando novos conceitos em suas formações ou, então, dedicando-se a adquirir a pluralidade de competências e habilidades exigidas pelos mais novos modelos de colaboração e trabalho.

Outro ponto é a quantidade de informações geradas que, se hoje já é gigantesca, deve aumentar exponencialmente com a hiperconectividade e outras características de uso e comportamento inerentes a esse novo conjunto de ambientes digitais. A necessidade de tratar esses dados aumenta ainda mais a demanda de profissionais qualificados e orientados à ciência de dados e áreas correlatas, bem como à inteligência de negócios, que aproveitem toda essa base de conhecimento em empresas no metaverso.

Alguns cursos superiores são, nativamente, ainda mais preparados para esse cenário, como o curso de pós-graduação em Blockchain, Criptomoedas e Finanças na Era Digital, oferecido na Uninter, no Brasil e nos Estados Unidos. Eles trazem conhecimentos complexos e específicos sobre as bases estruturais e tecnológicas que abrigam elementos como as moedas digitais, os NFTs e o próprio metaverso.

E aí, gostou do nosso conteúdo? Então, compartilhe!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.