O guia completo para melhorar a imagem profissionalPowered by Rock Convert

Juntar dinheiro pode ser um desafio e tanto, especialmente para quem não tem o hábito de economizar. Com isso, vêm os gastos descontrolados e, como uma bola de neve, as dívidas. A boa notícia é que poupar e administrar as suas finanças não precisa ser lá um bicho de sete cabeças.

Isso porque algumas práticas e mudanças de atitude, sobretudo aquelas relacionadas à maneira de consumir, podem ajudar — e muito! — nesse objetivo. Pensando nisso, preparamos este post para mostrar como juntar dinheiro é uma ótima forma de garantir boas perspectivas de futuro e, especialmente, como é possível poupar. Se interessou pelo tema? Continue a leitura e confira as nossas dicas!

Por que é importante juntar dinheiro?

Embora nunca seja tarde para começar a economizar, aprender a importância de juntar dinheiro é algo que deve acontecer o quanto antes. Quanto mais cedo conseguirmos poupar, mais recursos seremos capazes de reunir para realizar projetos futuros e viver confortavelmente.

Quando não temos dinheiro poupado, fica difícil planejar e ir atrás de nossos sonhos — uma mudança de emprego, uma viagem, um curso importante para a carreira… — Dessa forma, permanecemos estagnados e, aí, batem na porta as sensações de frustração, desânimo, estresse, etc. Além do fato de que, sem um bom planejamento financeiro, não teremos recursos a serem usados em casos de emergência.

Quais são as melhores formas de juntar dinheiro?

1. Quite todas as suas dívidas

O primeiro passo para juntar dinheiro é definitivamente se livrar de todas as dívidas, mesmo que isso leve algum tempo. Tenha em mente que você dificilmente progredirá em seu objetivo caso não tome essa atitude, e que mesmo aquelas dívidas aparentemente pequenas são grandes inimigas para quem deseja poupar.

Além disso, acumular dívidas é algo que causa bastante ansiedade. Por isso, procurar uma solução para elas o mais rápido possível é o melhor a se fazer. Para tanto, comece quitando as dívidas mais caras e que têm mais juros — como as do cartão de crédito e cheque especial.

2. Otimize seus gastos

Sabemos que, entre tantas despesas, conseguir juntar dinheiro no final do mês — mesmo que em pouca quantidade — não é uma tarefa simples. Colocar na ponta do lápis todas as suas despesas, organizando as finanças, permite que você corte os gastos supérfluos que estavam atrapalhando o seu caminho rumo à economia.

Comece anotando todos os seus gastos diários, semanais e mensais, como alimentação, aluguel, saúde, lazer, entre outros. Em seguida, classifique-os em ordem de necessidade. Isso faz com que você enxergue aqueles que não são prioridade e passe a reduzi-los (ou até mesmo eliminá-los).

É claro que esse processo é delicado, uma vez que envolve renúncias. Contudo, tenha em mente que a economia será em prol de um bem maior. Cursar a tão sonhada pós-graduação, adquirir um imóvel, viajar para um destino especial… Pense em seus objetivos e use-os como incentivo!

3. Evite usar o cartão de crédito

Anteriormente, falamos sobre pagar todas as suas dívidas antes de começar a juntar dinheiro. Aqui, é importante reforçar também que é necessário evitar formar outras. Quando usamos o cartão de crédito, estamos fazendo uma dívida, mesmo que isso pareça pesar menos no bolso no momento. Na verdade, você apenas estará adiando um pagamento que precisa ser feito.

Além disso, é muito fácil perder o controle da situação. Isso porque usar o cartão de crédito implica também em uma questão comportamental: você não “sente” o dinheiro saindo do bolso, logo, tende a gastar cada vez mais.

4. Informe-se sobre educação financeira

Um passo fundamental para juntar dinheiro é se educar financeiramente. Nos dias de hoje, as pessoas tem mais acesso a ferramentas que auxiliam nesse objetivo do que antigamente. Exemplo disso são os canais no YouTube sobre finanças que dialogam com a audiência usando uma linguagem descomplicada, ou seja, fácil de entender até mesmo para quem não tem familiaridade alguma com o assunto.

Aprender sobre educação financeira traz muitos benefícios, já que não ensina apenas a organizar lucros e despesas. A partir do conhecimento adquirido, você consegue também analisar o que é essencial e o que pode estar comprometendo o orçamento, tendo mais liberdade financeira e mais segurança para gastar.

5. Estipule uma meta mensal para poupar

Ter uma meta mensal para juntar dinheiro ajuda a desenvolver disciplina financeira. Comece guardando uma quantia no início de todo mês. Segundo especialistas, o ideal é que esse valor corresponda a pelo menos 15% do seu salário.

É igualmente importante estar preparado para lidar com os imprevistos, que podem acabar com qualquer planejamento. Uma conta inesperada, um remédio, uma ida ao dentista, uma demissão, algo que quebrou em casa… Se você não tiver de onde retirar recursos para cobrir essas despesas quando necessário, provavelmente vai acabar se voltando aos empréstimos e cheques especiais, com juros muito altos.

6. Escolha uma alternativa rentável para guardar seu dinheiro

Por fim, saiba que tão fundamental quanto juntar dinheiro é definir a maneira que você guardará ou aplicará essa quantia, fazendo com que ela renda em vez de ficar simplesmente parada. Uma boa dica optar por uma aplicação que o proteja da inflação e na qual você pague menos juros. Para tanto, pesquise bastante.

Converse também com o gerente do seu banco e com as corretoras, já que há muitas possibilidades além da poupança, como o Tesouro Direto. Esse exemplo de aplicação, inclusive, é de curto prazo e apresenta boa liquidez, permite investimentos que se encaixam melhor no orçamento, com valor mínimo de R$ 30,00.

Essas foram algumas das melhores dicas para quem quer juntar dinheiro e colher os benefícios dessa prática. Lembre-se de que o valor poupado hoje pode ser muito importante amanhã, seja para investir no seu futuro profissional, viajar ou até mesmo garantir uma boa aposentadoria. Sendo assim, mantenha o foco, respeite os seus limites e, é claro, coloque em ação as informações do artigo!

Se você gostou das dicas do post e quer continuar por dentro de mais conteúdos como este, aproveite para assinar agora mesmo a nossa newsletter! 🙂