Subscribe Now

Trending News

Concurso público na área de direito: 5 dicas para passar na prova
Graduação

Concurso público na área de direito: 5 dicas para passar na prova

Com as altas taxas de desemprego, é fundamental que os profissionais procurem por várias opções para encontrar estabilidade financeira. Uma boa possibilidade para isso é prestar concurso na área de direito. Você já considerou essa alternativa?

Este é um caso a se pensar dentro de um cenário de economia lenta, e um outro atrativo são os bons salários pagos dentro do setor jurídico. Com uma excelente remuneração e segurança no trabalho, não fica difícil analisar uma ida para a o funcionalismo público, não é mesmo?

Neste texto, falamos sobre a carreira, épocas de provas, como é a avaliação e ainda separamos dicas para ser aprovado(a). Então prossiga com a leitura e aprenda!

Como é a área pública na carreira de direito?

Segundo o último Censo feito sobre o assunto, a graduação de direito era a que tinha o maior número de alunos no Brasil em 2017. Os dados foram divulgados pelo Ministério da Educação (MEC) e demonstram o quanto o curso é procurado dentro do nosso país. A área teve uma boa evolução em relação aos anos anteriores, e, ao menos naquela época, foram 862.324 inscritos.

Com tanta gente cursando, formando-se ou atuando na área, é importante destacar quais são os ramos que existem, como o caso da área pública. Assim, é essencial saber esse tipo de informação para tomar a decisão de qual carreira seguir, assim como descobrir com qual você mais se identifica. Veja quais são elas abaixo.

Juiz

A função do cargo é julgar ações judiciais resultados dos conflitos entre pessoas jurídicas e/ou físicas, além de órgãos públicos e particulares. Para assumir o cargo, é preciso fazer uma prova, apresentar títulos e ter, no mínimo, três anos de atividade. Existem possibilidades de concursos para magistratura estadual, federal, trabalhista e também militar.

Promotor de Justiça

A atuação vai ser pelo Ministério Público e fica responsável pela defesa da ordem jurídica de todos os interesses da sociedade e do regime democrático. Quem integra o MP também vai fiscalizar a aplicação das leis e fazer a defesa do patrimônio público. O trabalho acontece na área criminal e cível em âmbito estadual e para conseguir é preciso ter desempenhado, pelo menos, três anos de atividade jurídica.

Procurador público

Quem escolher essa carreira pode optar por atuar no âmbito do Município, Estado ou Federação. As atividades exercidas estão relacionadas à advocacia consultiva, análise de processos, contratos e editais, defesa da ordem jurídica, dos interesses sociais e manutenção da democracia. A remuneração é alta e varia entre R$ 22.000 e R$ 28.947, usando como base a média do estado de São Paulo.

Defensor

Responsável por prestar assistência jurídica gratuita às pessoas que não têm condições de pagar por uma defesa particular — em geral, são atendidos aqueles que recebem menos de três salários mínimos. É dever desse funcionário fazer também a promoção dos direitos e defesa de quem precisa.

Delegado de Polícia

Tem a função de presidir os inquéritos policiais, fazer a coordenação dos agentes e o comandado de toda a parte jurídica das investigações criminais. Pode trabalhar também em âmbito estadual quando delegado da Polícia Federal, sendo responsável por coordenar investigações no âmbito dessa esfera.

Advogado da União

Representa judicialmente e extrajudicialmente todos os Poderes nacionais nas partes jurídicas. Exerce funções de consulta e assessoramento junto aos órgãos do Poder Executivo da União.

CTA-UNINTERPowered by Rock Convert

Tabelião

Aconselha todas as partes de modo imparcial e confecciona os documentos públicos com a intenção de prevenir litígios, buscando a garantia da segurança jurídica e o respeito à legislação. As principais funções exercidas pelo notário são testamentos, procurações, autenticações, atas notariais, reconhecimento de firma e escrituras públicas.

Quando optar pelo concurso público?

As provas sofrem, geralmente, fases de altos e baixos, e existem muitas opiniões contrárias quando o assunto é fazê-las. Então, como tudo na vida, é preciso pesquisar e avaliar com muito equilíbrio a possibilidade de prestar concurso público na área de direito, sempre analisando como estão as situações de vagas em nosso país.

Então vale a pena fazer? Tudo vai depender muito dos seus anseios. Como visto no tópico anterior, existe um bom campo de atuação e os salários altos, mas a concorrência também é bem grande. Entre outras vantagens, estão a segurança de um salário fixo, direitos trabalhistas garantidos e não há discriminação de idade, sexo, etnia ou credo.

Como é a prova?

Se você decidir que realmente vale a pena fazer prova para essa área de atuação, então é fundamental que comece se familiarizando com o conteúdo que cai. É lógico que existem algumas exceções, mas a maioria aborda assuntos sobre:

  • direito constitucional e administrativo, assim como português;
  • teorias e leis são importantes para compreender os enunciados, portanto busque textos que tratem desses assuntos;
  • acompanhe Códigos, a Constituição e outras leis, afinal elas estão sempre mudando. Uma excelente dica é olhar sempre o site do Planalto Federal constantemente;
  • fique atento aos autores pedidos no edital, pois eles podem variar de acordo com o cargo escolhido;
  • esteja sempre em dia com as informações, notícias e jurisprudências relacionadas ao meio.

Quais as 5 dicas de como passar na prova?

Já mostramos os campos de atuação no âmbito do funcionalismo, falamos sobre as vantagens de fazer um concurso público na área de direito e descrevemos como são as provas, agora é hora de falar sobre as dicas para conseguir a aprovação. Um dos primeiros passos é escolher o ramo e depois iniciar os estudos, acompanhe!

1. Escolha qual vai ser a área

Antes de tirar uma hora do seu dia para se dedicar à prova, é essencial optar por qual ramo vai seguir. A definição é fundamental, pois cada edital pede um conhecimento em disciplinas específicas. Tomou a decisão? Então analise os objetivos e comece a leitura.

2. Não enrole e comece agora

Mesmo sem o comunicado, é possível ir pesquisando sobre alguns conteúdos. Geralmente, quando o documento é publicado, as avaliações ocorrem dois meses depois, ou seja, é um prazo curto para se preparar. Explore mais sobre os assuntos e refaça o que foi muito exigido nas edições anteriores, só não perca tempo e inicie logo os estudos!

3. Tenha bastante organização

Para fazer este tipo de avaliação, é de suma importância ter um bom planejamento, então releia as matérias básicas e vá relembrando os conteúdos com os quais tem mais afinidade. Depois alterne os dias, para que o material não caia no esquecimento. Faça resumos, revisões e anotações — eles são ótimos mapas mentais!

4. Escolha o material de estudo

Como você prefere aprender? Existem várias opções, como as videoaulas, PDFs e livros físicos. Encontre a melhor ferramenta de preparação e consiga a sua aprovação. Opte pela qual preferir e não gaste o tempo à toa, priorize os momentos de aprendizado.

5. Refaça as provas antigas

Uma excelente ajuda na hora dos estudos é procurar avaliações anteriores e refazer as questões. A ação vai ajudar você a entender quais os temais mais abordados pela banca e ainda vai ter a oportunidade de treinar a resolução das questões — o que é uma ótima atividade para o seu aprendizado!

Como você pôde ver neste texto, concursos públicos na área de direito oferecem muitas áreas de atuação, desde o magistério até a parte de procuradoria. É importante se preparar o quanto antes para a prova, seguindo uma planilha de estudos e sempre separando algumas horas do seu dia para se dedicar a isso. Leia o edital, invista nas dicas dadas aqui e consiga a estabilidade profissional que tanto deseja!

Compartilhe o material em suas redes sociais, quem sabe essa não é uma dúvida de outra pessoa também?!

Powered by Rock Convert

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *